" A informação se transmite, o conhecimento é adquirido através de informações."concatenado por Brenda

domingo, 18 de setembro de 2011

Estrangeirismo, informática e fim do mundo.



                                                      "A minha prima escreveu pra mim
                                                       E não fala mais venha cá, só fala “come here”
                                                       Eu vou mandar uma resposta breve
                                                       Para United States of Piauí”
                                                                                                    (Zeca Baleiro)



Você tem presenciado uma revolução.
Você tem vivido uma revolução.
E você está prestes a ver um satélite cair na terra.

Enfim, a parte do satélite não tem nada a ver com nosso assunto, mas, como estou diante de um belo céu azul, de um sol maneirinho e com o canto do vento sudoeste zunindo por aqui e como sempre penso que esse equilíbrio pode ser ferido pelo satélite UARS e que  o mundo pode vir a acabar junto com esse sosseguinho... eu resolvi escrever sobre esse assunto...

But, pera lá. Quem disse que não tem nada a ver?

A tecnologia muda o mundo a cada segundo. Mudam tudo, em absoluto. Vovó não sabe o que é um tablet e eu não tenho um, porquê, quando comprei meu notebook, ainda não tínhamos esses retângulos bonitinhos por um preço acessível.
Porém, como diríamos notebook se não fosse notebook? Computador portátil? Você se adaptaria a chamar de seu notebook de computador portátil? E como chamaria um netbook? Mini computador portátil?
AH, e um tablet? Como chamaríamos um tablet?  Mini retângulo que não é apenas um computador portátil e também não é um mini computador portátil, mas sim um negocinho que faz de tudo e ainda dá pra esconder dentro do fichário?

Atualmente, não conseguiríamos viver sem os estrangeirismos, sobretudo, na informática.
Duvida? Observe:

Processador
·         Segunda Geração do Processador Intel® Core™ i3-2310M (2.1GHz, 4 Threads, 3M cache)

Sistema operacional
·         Windows® 7 Home Basic Original 64-Bit em Português

Memória
·         4 GB de SDRAM DDR3 a 1333 MHz

Disco rígido
·         Unidade de Disco Rígido SATA de 640GB (5400RPM)

Placa de vídeo
·         Intel® HD Graphics

Monitor
·         Tela True Life WLED (720p) de 14.1 polegadas, Widescreen com Webcam de 1.3MP

Unidade óptica
·         Gravador de DVD/CD Dual Layer (Unidade DVD+/- RW 8x)

Cor
·         Black

Wireless
·Dell Wireless™ 1702 Half Mini Card (802.11n) com Bluetooth

Software de segurança
·         McAfee Security Center - 3 anos

Bateria principal
·         Bateria de 6 células

Entendeu? Agora, diga isso sem usar estrangeirismos.
É possível? Em alguns casos até é. Mas quero ver você passar a usar isso para se comunicar em meio aos profissionais da área. Quero ver como você se viraria se passasse a usar nomes como “Tela de resolução em alta definição em Cristal Líquido” ao invés de dizer HD LCD.
E que tal pedir um CD como “Olha, moço, me vê um disco compacto!” ou um DVD “Ah, e traz um Disco Versátil Digital também!”

Entenderiam? Depois de uns cinco ou seis “hã?!” sim, entenderiam. No entanto acredite: Eles se entreolhariam a pensar... “putz... é doido”.

O estrangeirismo na Informática é algo indissociável. Não há como entender de sistemas de informação e apontar o inglês como um intruso... ele não o é. Ele é parte integrante. Usa outro termo pra Photoshop, pra Corel Drawn, pra Print Screen. Vai, usa.

Há poucos empréstimos linguísticos na informática... Mas, claro, acontece algo como “oh, sim, deletei o arquivo”  ou como “Vou startar o programa”. Criando assim uma “derivação” do termo inicial.
Assim como acontece com Iceberg, a ausência de outro termo para apontar um fenômeno nos faz recorrer e manter alguns termos em sua língua de origem como é o caso de “backup”, “drive”, “notebook” e “netbook”  por exemplo. As palavras preservam a escrita e a fonética original e são perfeitos casos (entre inúmeros) de estrangeirismos.

Agora eu proponho um desafio. Passe numa loja de informática e compre um Tablet sem falar um estrangeirismo/empréstimo linguístico sequer.

Se conseguir, passa aqui e me conta. Eu faço um backup do seu comment e gravo num CD.

Hugs for all!


E até o mundo que vem!


(Porém se o mundo não acabar e você tiver dúvidas, me escreva para 
mel_uepb@hotmail.com)

4 comentários:

  1. É verdade, não tem como separar as coisas não, já tá deixando de ser "inglês" para ser uma linguagem universal

    ResponderExcluir