" A informação se transmite, o conhecimento é adquirido através de informações."concatenado por Brenda

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Serviço de utilidade pública - Parte 4




“Vem pra minha ala que hoje a nossa escola vai desfilar
Vem fazer história que hoje é dia de glória nesse lugar
Vem comemorar, escandalizar ninguém
Vem me namorar, vou te namorar também
Vamos pra avenida, desfilar a vida, carnavalizar


Ah, oi, é... tudo bem? Sim, sim, a Tia Brenda hoje não virá.

Dia 27/09/2011, deu-se a apresentação do seminário do grupo acima descrito. O assunto em questão era Neologismo.
Haja visto que todos os Defenestrantes estão num mesmo grupo e que falar sobre si mesmo cai ali pro lado de Narcisismo, eu tomei a responsabilidade para mim.

Como todo mundo sabe ou não , o neologismo é a arte de inventar palavras ou de dar novo sentido a uma palavra ou expressão já existente. Ah, num sei se seu professor vai aceitar isso na prova, no entanto, trocando em miúdos, é isso mesmo.

Nossa querida Darli, iniciou o seminário, explicando que esses novos termos surgem como um modo de suprir uma necessidade vocabular. Nós, como falantes, sentimos necessidade em criar e recriar palavras e sentidos. Dela também foi o ponto poético da conversa: “
a língua é viva”.

Só pra deixar um ponto aqui: Ai, (<- momento frescura) ninguém imagina o quanto me emociona quando me dizem que a língua é viva!  Por dois aspectos: Por ser mecanismo comunicativo, ela não congela, ao contrário, está em constante recriação. E porque beijar na boca é muito bom justamente por termos a lín... hã? Não? tá, desculpa, quer dizer que não é nesse sentido? Vixe...


Mas, enfim, voltando, os principais processos de formação de Neologismos são:

Justaposição:

Quando você apenas junta os termos:
Manda+chuva= Manda-chuva
Ponta+pé= Pontapé

Aglutinação:

Aborrecido + adolescente = aborrescente

Verbalização:

Ele queria infinitar o assunto.

(que foi o que achei de mais fofo... O Daniel fazendo o grifo desse termo e achando lindo e poético. Oh, Deus, como eu acho fofo pessoas que acham palavras fofas! Se palavra fosse bichinho de estimação, lá em casa teríamos aos montes... Seria palavra rasgando o sofá, palavra subindo na mesa, fazendo coco na sala

...

Tá, vou tomar meu remedinho)


Prefixação e sufixação:

In + convivi + vel = inconvivível

Novo sentido dado a termos já existentes:

Burro (animal) = pessoa que não é inteligente
Gatinha (animal) = eu (ou seja, pessoa gata, coisa linda. Eu sei, não precisava explicar. Já estava claro)


Na Portela tem Mocidade, Imperatriz
No Império tem uma Vila tão feliz
Beija-Flor, vem ver, a porta-bandeira
Na Mangueira tem morenas da Tradição



Logo após, tivemos as explicações sobre neologismos na internet, lindamente feitas por Ana Simony, a desenhista mais fofa do mundo, que fez um desenho dos meus lindos cabelos com mechas variadas que nem eu sei mais que cores são,


Vc, blz, vlw, tbm, t+.


São neologismos. Você sabia?


Você sabia que:


=)
=*
=/
=(
=D
=P
9=)


também são?



Pois, pois, caríssimo internauta que me lê. Esses são exemplos de neologismos verbais e não verbais encontrados aí, nessa rede que nos liga.


(Se você, como professora Iara, não consegue distinguir o que são esses pontos, traços e letras, eu ajudo; Pense assim: '=' são olhos; ')' é boca. Agora bote a cabeça de ladinho '=)'. Enxergou?)




Depois dessa sacudida, passamos ao Neologismo na literatura.




O exemplo exposto foi, nada mais, nada menos, que o nosso queridíssimo prefeitíssimo eleito por meredecência "Odorico Paraguaçu". O Bem Amado, já que eu nem gosto de falar de literatura foi escrito por Dias Gomes e a nossa Tia Brenda =* trouxe-nos o nome original da obra, que é “Odorico na cabeça”.
Os neologismos que ele criou não são poucos. E cada um melhor que o outro, segue uma listinha básica:

- Acarajeizar, 
- Adulância
- Aforamente
- Alma lavada e enxaguada
- Anais e menstruais da História
- Apodrecento
- Cemitério na sua virgindade defuntícia
- Chegar aos finalmentes
- Confabulância sigilenta
- Coloquiamento sigiloso, com todos os acautelatórios
- Diversionismo desgastativo
- Desculpento
- Donzelas praticantes e juramentadas
- Emboramente
- Encupridamento de pequenos salários
- Epistolista
- Entrementemente
- Escravagem
- Esquerda badernista, desaforista e subversenta
- Esverdecido amarelento
- Ideia desapretechada de sensatismo
- Imprensa lida, olhada e escutada
- Larapista
- Maquiavelento
- Maucaratista
- Merecência
- Meticulância
- Não obstantes, não obstantemente
- Negativistas
- Pacatista
- Parede desalimentícia (greve de fome)
- Pecadilhista
- Prafrentemente, pratrasmente
- Puxa-saquista
- Talqualmente


Sinto a batucada se aproximar
Estou ensaiado para te tocar

Depois da nossa querida Brenda =*, seguiram as apresentações com chefinha, a Yonarah, com Neologismos na  ♪ Música. ♪

O neologismo, por ser a versatilidade em figura de palavra, se encaixa perfeitamente na música. Muitos autores lançam mão desse recurso linguístico e estilístico para criarem coisas maravilhosas...

Para ilustrar e sonorizar o assunto (e também porque essa música não me sai do juízo desde ontem) venho deixando trechos (porque eu realmente tô ouvindo e cantando enquanto escrevo) da música que serviu de base para a apresentação.

Observem, afastem as cadeiras, vistam um abadá e leiam e estudem e cantem comigo. Começando com um gritinho pra energizar: UHUL!


Carnavália (Carnaval + tropicália)

"Repique tocou
o surdo escutou
o meu corasamborim" (coração + samba + tamborim)




Para completar, o grupo muito bem organizado, ainda fez questão de recitar a poesia mais linda do mundo, que, inclusive, dará nome a minha próxima filha (na porta do quarto dela vai ter uma plaquinha, daquelas bem lindas, escrito: Teadoro, Teodora). Além de ser de Manuel Bandeira, que é conterrâneo do meu noivocoisafofaqueamomuito.

Neologismo

Beijo pouco, falo menos ainda.
Mas invento palavras
Que traduzem a ternura mais funda
E mais cotidiana.
Inventei, por exemplo, o verbo teadorar.
Intransitivo:
Teadoro, Teodora”

(Manuel Bandeira)



Bom, meninos, meninas e caríssimos professores que por aqui passarem.

Fico feliz de ter feito o serviço de Utilidade Pública 4. 

=)

Fiquem bem, cuidem-se, escovem-se, banhem-se, estudem. Esse negócio de estudemento é importante para a formatização do conhecimento. Já diria Odorico, se não tivesse que ter ido livrar o cemitério daquela virgindade defuntícia....

Beijocas, 


Melzinha.



(Qualquer coisa, nesse assunto, escrevam para a Tia Brenda =*, para a chefinha Yonarah, para Darli, para Simony ou para Daniel. Tá, se quiserem escrevam pra mim: mel_uepb@hotmail.com)





5 comentários:

  1. Ei, Mel, alguém já disse q vc é uma fofa?
    Eu sei q já, mas vou repetir assim mesmo: você é uma fofa!
    Amei.
    E vou adorar conhecer a Teodora.
    =)

    ResponderExcluir
  2. Ah, já ia esquecendo...
    Eu também acho o máximo a língua ser viva!
    kkkkkkk XD

    ResponderExcluir
  3. Meninas, meninas,
    Que bom que gostaram =D

    ResponderExcluir
  4. Incrível sua fofa! A postagem ficou meio que, digamos "Melzifodástica"! :D rs... Também quero muito conhecer a Teodora *-*

    Palmas a Mel por "merecência"! \o/

    ResponderExcluir