" A informação se transmite, o conhecimento é adquirido através de informações."concatenado por Brenda

sábado, 1 de outubro de 2011

Linguística - Prova



Esse post não vai ter piada interna nem externa, pois na próxima quarta temos um assunto seríssimo a resolver com a linguística e os símbolos fonéticos, então depois de muito procurar no Google encontrei  essa tabela e achei mais simples para entender os símbolos fonéticos. Nesse link:

http://www.cefala.org/~leo/instrucoes.pdf

Aqui vai mais informação ------>

Tabelas de símbolos fonéticos

Para estudarmos mais profundamente os fenômenos linguísticos, é necessário adquirirmos conhecimento técnico, para que haja o processo de domínio da língua mãe e da segunda língua a qual estejamos apredendo. Para issso e obviamnente para outros propósitos, os símbolos fonéticos são de suma importância para nos orientar na oralidade, escrita e investigação do campo fonético e fonológico.

Eis abaixo,as tabelas que ilustram os símbolos fonéticos na língua Portuguesa, espanhola e inglesa:

Símbolos fonéticos: Língua portuguesa

Consoantes

(Classificadas quanto ao modo de articulação*)

<!--[if !supportEmptyParas]--> <!--[endif]-->

Oclusivas

- surdas

p pato

t tira

k cacto

- sonoras

b bata

d data

g gato

<!--[if !supportEmptyParas]--> <!--[endif]-->

Oclusivas fricatizadas (produzidas sem oclusão total na passagem do ar, devido ao facto de estarem entre vogais)

<!--[if !supportEmptyParas]--> <!--[endif]-->

β (beta) aba

ð (delta) dedo

ɤ (gama) mago

<!--[if !supportEmptyParas]--> <!--[endif]-->

Oclusivas nasais

<!--[if !supportEmptyParas]--> <!--[endif]-->

m mata

n nata

ɲ manha

<!--[if !supportEmptyParas]--> <!--[endif]-->

Fricativas

- surdas

f fava

s saco

ʃ chave

- sonoras

v vaca

z zero

ʒ jardim

<!--[if !supportEmptyParas]--> <!--[endif]-->

Líquidas

Laterais

l lata

ʎ (lambda) malha

ɫ (em final de sílaba) sal

Vibrantes

ɾ barco

R rato

<!--[if !supportEmptyParas]--> <!--[endif]-->

Nota: as africadas que refere como tch, tz, dj e ks são, na verdade, dois segmentos sonoros diferentes, ou seja, respectivamente: [tʃ] (usado no Português do Brasil, em palavras como ‘tia’), [tz] (‘quartzo’), [dʒ] (‘dia’, no Português do Brasil) e [ks] (‘táxi’).


Vogais

(orais)

Não recuadas Recuadas

Altas

<!--[if !supportEmptyParas]--> <!--[endif]--> i (tira) ɨ (menina) u (muro)

Médias

 (pano) o (porco)

Baixas

a (casa) ɔ (mola)


Não arredondadas Arredondadas


Orais

- tónicas

i tira

e medo

ɛ tela

ɐ pano

a casa

ɔ mola

o porco

u muro

- átonas

i atirar

u apurar

ɐ apanhou

ɨ menina


Nasais

- tónicas

ĩ cinto

ẽ sento

ɐ̃ mando (e não ÑG, como no exemplo que deu, em ‘manga’, já que é a vogal, e não a consoante, que é nasalizada).

õ tonto

ũ fundo

- átonas

ĩ fintar

Nota: a designação ‘velar’, que utiliza, está incorrecta naquele contexto, correspondendo à designação ‘recuada’.


Glides
(ou semivogais)

Nota: os ditongos em Português são sempre decrescentes, já que os crescentes (ou ‘falsos ditongos’) são passíveis de segmentação silábica (ou seja, de hiato, desfazendo a possibilidade de ditongo): por exemplo ‘miar’ pode ser um monossílabo ([mjaɾ]), se tiver um ditongo crescente, ou um dissílabo ([mi-aɾ], com hiato). Este facto está sobretudo relacionado com questões de velocidade de fala.

Porém, se tivermos em conta uma velocidade de fala elevada, todos os exemplos de ditongos crescentes (orais e nasais) que me deu estão correctos.

Relativamente aos tritongos, passa-se exactamente o mesmo. Na verdade eles são sempre uma combinação de pelo menos uma vogal com outra vogal e uma glide, ou uma vogal e duas glides, ou até três vogais. Como referi para os ditongos crescentes, os tritongos não são ‘naturais’ na Língua (como são os ditongos decrescentes), mas antes o resultado de uma velocidade de locução mais acelerada.

Importa também aqui distinguir dois conceitos: ‘consoante’, ‘vogal’ ou ‘glide’ são nomes dados a classes naturais de sons das Línguas; já as designações de ‘ditongo’ e tritongo’ são especificações dadas a combinações de sons (respectivamente, dois e três sons).

A partir do inventário que a seguir lhe apresento poderá ver os conjuntos que se podem fazer com vogais e glides, de modo a formar ditongos e tritongos. De qualquer maneira, saiba que as hipóteses de tritongos que me apresentou estão correctas.

Orais

j pai

- pode haver ditongos com as seguintes combinações

ɛj papéis (sempre em posição tónica)

ɐj lei (em posição átona ou tónica)

aj pai (em posição átona ou tónica)

ɔj rói (sempre em posição tónica)

oj boi (em posição átona ou tónica)

uj cuida (em posição átona ou tónica)

w pau

- pode haver ditongos com as seguintes combinações

iw riu (em posição átona e tónica)

ew meu (em posição átona e tónica)

ɛw céu (sempre em posição tónica)

ɐw saudade (em posição átona e tónica)

aw mau (em posição átona e tónica)

Nasais

j̃ mãe

- pode haver ditongos com as seguintes combinações

ɐ̃j̃ mãe (em posição tónica e átona)

õj̃ põe (sempre em posição tónica)

w̃ cão

- pode haver ditongos com as seguintes combinações

ãw̃ cão (em posição tónica e átona)

ũj̃ muito (sempre em posição tónica)


* - Há outro tipo de classificação (quanto ao ponto de articulação) e ainda outras nomenclaturas. As designações aqui feitas correspondem a uma abordagem clássica (estruturalista) da Fonética

Fonte eletrônica:www.ciberduvidas.com/linguaportuguesa
Sorte para todos e Boa prova!

@Yonarah

3 comentários:

  1. Nossa essa prova promete ein Mel?! valeu pelo post aíe. bjo!

    ResponderExcluir
  2. YON@R@H, EU TE AMO

    Caramba, que ajudaça!!!

    ResponderExcluir
  3. YON@R@H, EU TE AMO ²

    Obrigada pela ajuda! \o/

    ResponderExcluir